Ivayr Soalheiro - Vereador Contagem

Aumentar Texto Diminuir Texto
Voltar

Ivayr Soalheiro fala sobre o Plano Diretor de Contagem

O secretário municipal de Desenvolvimento Urbano, vereador licenciado Ivayr Soalheiro (PDT), em entrevista exclusiva a Rádio Super Notícia FM, na Tarde Super, esclareceu questões sobre o novo Plano Diretor de Contagem. Segundo ele, com as novas diretrizes, o plano reforça a preservação das Áreas de Preservação Ambiental (APA), como a Lagoa de Vargem das Flores.


 Conforme explicou Soalheiro, a aprovação do novo Plano Diretor garante o desenvolvimento da cidade com sustentabilidade. “As novas diretrizes garantirão ainda mais rigor na proteção ambiental”, disse.


 Durante entrevista, Ivayr Soalheiro também salientou sobre a importância da revisão do plano.  O vereador informou que o Plano Diretor do município é antigo, elaborado em 2006, e que precisa ser revisto com urgência por não acompanhar o crescimento da cidade. “O plano que existe está ultrapassado, já passa da hora de ser alterado para o desenvolvimento de Contagem”.


As diretrizes que regem o plano foram entregues pelo executivo ao legislativo, no último dia 21 de novembro, para apreciação. A Conferência de Políticas Públicas e as pré-conferências também já aconteceram, englobando as oito regiões de Contagem. Participaram mais de mil pessoas de vários segmentos, dentre lideranças políticas, comunitárias e empresariais, profissionais liberais e a população interessada em ajudar no desenvolvimento da cidade. Das audiências, foram retiradas as principais propostas que, agora, regem o novo Plano Diretor.

Segundo Ivayr, a grande novidade do plano é a mudança de área rural para expansão urbana, já que a realidade atual de Contagem é outra. “Estamos apenas regularizando a tendência do município. O plano apresentado é muito mais moderno do que o anterior e, com isso, garantiremos mais qualidade de vida à população”.


Em relação à área ambiental, o secretário explicou que o novo plano a divide por zonas de expansão e áreas de interesse social e ambiental que garantirão a proteção da Bacia de Vargem das Flores. Por exemplo, a área rural será transformada em Zona de Expansão 3 – Bacia Vargem das Flores, com diretrizes que reforçam a preservação da fauna, flora, nascentes e córregos. Além disso, a Bacia de Vargem das Flores conta com a proteção das Áreas de Interesse Ambiental e da Zona Especial de Interesse Turístico.


Durante a entrevista, Ivayr salientou ainda que o perímetro urbano está sendo ampliado porque a cidade não tem mais característica rural. “Ao dar fim às áreas rurais subutilizadas, o novo plano dinamiza a cidade, criando condições para o crescimento sustentável nestas áreas, que muitas das vezes, por serem classificadas “rurais”, ficam impedidas do desenvolvimento”. E completou: “Temos que imaginar o crescimento da cidade, potencializando, por exemplo, áreas como a da MG-808, com a implantação de empreendimentos empresariais de baixo impacto. Do mesmo jeito, da BR-040, próximo a Ribeirão das Neves. Com isso, garantiremos mais emprego para as regiões de Nova Contagem e Nacional, que estão impedidas desse crescimento”.


O secretário também esclareceu que o novo plano define que nenhum empreendimento ou loteamento na cidade poderá ser aprovado sem esgotamento sanitário. “Não existe a possibilidade de permitir ocupação populacional se não tiver solução de esgotamento sanitário”, disse.


 Além disso, informou que o novo plano prevê melhorias para a Regularização Fundiária, regulamentando as áreas de interesse social para a garantia do título de propriedade, prevê a implantação de um grande Programa de Habitação e a requalificação dos espaços ociosos das áreas indústrias do município. Também esclareceu que as novas mudanças não contrariam o macrozoneamento de Contagem. “A definição de área rural e urbana é exclusiva do município e não de órgãos metropolitanos”.

Concluiu lembrando que o plano foi construído ouvindo a população de Contagem e o Legislativo. A prioridade é ampliar a qualidade de vida, a empregabilidade e os serviços essenciais para a população, garantindo assim, o desenvolvimento econômico, urbano e social  sustentável, além de proteger a riqueza ambiental e hídrica da cidade.

Compartilhe essa página: